MARIA ISABEL LASSUTA MONTEVERDE

MARIA ISABEL LASSUTA MONTEVERDE
Que o SENHOR te proteja, meu Anjo
Quem acha sem procurar é quem longamente buscou sem encontrar* BACHELARD, Gaston

Despreza as estradas largas, segue os carreiros* PITÁGORAS

Não se envelhece enquanto buscamos*ROSTAND, Jean


TODO O MATERIAL DESTE BLOG É DE AUTORIA DE ANTÓNIO PAIS E ISABEL MONTEVERDE.

SEJA BENVINDA(O).

O SEMEADOR DE PÓ

O SEMEADOR DE PÓ

NOTRE CHANSON

with my rain beating inside my heart, beating for glorious days to come!

from mine's to your heart_ISabeL
Claro que gosto do gosto que a Isabel coloca em tudo...e do gosto dos seus lábios eu gosto também.

António Pais

Claro que gosto do seu jeito de dizer...

Isabel

VAGEM

Vagem: viagem de amor,
Vagão da paixão,
Vagabundo do deleite,
Vaginal terminal de explosão.


Abro-te e descubro-te em ervilhas frescas e verdes, sementes dos prados em flor.

António Pais

terça-feira, 27 de abril de 2010




Recortei a lua,
Ao cimo da folha de papel de seda
E em toda a sua largura.
Um eclipse lançou as suas asas
Sobre a brancura nua e virgem
Do meu suporte de viagens.
Perfumada pelos roteiros do oriente:
Canela, gengibre, incensos mágicos,
Tudo sinto no doce inebriamento
De sedas envolventes, a seduzir ao deleite,
Como um gato de apartamento,
Com o seu pelo lustroso:
Também ele sonhando,
Imitador de noites mágicas no embalar
Suave dos movimentos dorsais.
Sonhando com seus olhos de âmbar.
E assim, as palavras se vão estilhaçando,

Como quem rasga janelas,

Sobre a linha do horizonte,
Para dar lugar ao sol irradiante.
No buraco, onde deveria estar a lua,
Reside, agora, um círculo de esperança.

5 comentários:

  1. Tão lindo!

    (a lua continua uma feiticeira malvada que me deixa tonta e angustiada)

    Beijinhos!!!

    ResponderEliminar
  2. Ciao cara Gattina,

    sono belle le tue parole. La tua strada é costruita della speranza e sognando alla luce della luna ti conduce al sole:))
    Un grande abbraccio

    ResponderEliminar
  3. Hoje ofereci as cores da minha paleta
    A uma amiga na sua dor
    Ouvi seu choro ao meu ouvido
    No fatalismo do desamor

    Hoje o sono acordou-me
    A nostalgia agitou suas asas cinzentas
    Esqueci no acordar o ultimo abraço
    E contei as nuvens que eram tantas


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  4. Caro amigo Antonio, tenho q me desculpar, afinal vc andou tentando fazer contato, isso já a algum tempo, contudo, eu n li seus comentarios, justamente pq o blog q vc visitou era apenas uma experiência, assim, postei uma ou duas vezes e n retornei...desculpe pela falta de atencao p contigo sim?
    Continuo a postar no blog q tenho já a algum tempo e seria um prazer recebe-lo por la e assim, manter contato ok?

    Em td o caso, p garantir, envio a url por aqui tb.

    http://www.alfa-rabios.blogspot.com/

    [ ]´ e otimo domingo meu amigo.

    ResponderEliminar
  5. Antoni, sou prima da Marineide do blog Leio, logo existo e, estou aqui para te fazer uma visita. Gostei de tudo o que vi por aqui. Tens bom gosto e simplicidade, a receita certa para o sucesso.
    Morei na Suiça por vários anos e fui muito a Portugal tomar o delicioso vinho do Porto.
    Terei imenso prazer em receber sua visita em meus blogs. Postei uma matéria que vc enviou à minha prima sobre as sacanagens políticas de seu país.
    Um abraço
    http://satellim.blogspot.com
    e
    http://satellim-sopracontrariar.blogspot.com

    ResponderEliminar