MARIA ISABEL LASSUTA MONTEVERDE

MARIA ISABEL LASSUTA MONTEVERDE
Que o SENHOR te proteja, meu Anjo
Quem acha sem procurar é quem longamente buscou sem encontrar* BACHELARD, Gaston

Despreza as estradas largas, segue os carreiros* PITÁGORAS

Não se envelhece enquanto buscamos*ROSTAND, Jean


TODO O MATERIAL DESTE BLOG É DE AUTORIA DE ANTÓNIO PAIS E ISABEL MONTEVERDE.

SEJA BENVINDA(O).

O SEMEADOR DE PÓ

O SEMEADOR DE PÓ

NOTRE CHANSON

with my rain beating inside my heart, beating for glorious days to come!

from mine's to your heart_ISabeL
Claro que gosto do gosto que a Isabel coloca em tudo...e do gosto dos seus lábios eu gosto também.

António Pais

Claro que gosto do seu jeito de dizer...

Isabel

VAGEM

Vagem: viagem de amor,
Vagão da paixão,
Vagabundo do deleite,
Vaginal terminal de explosão.


Abro-te e descubro-te em ervilhas frescas e verdes, sementes dos prados em flor.

António Pais

domingo, 9 de agosto de 2009

O SEMEADOR DE PÓ








O pó não tem definição, é das matérias a mais gasta pela sua filiação à morte. Pó, tão descentralizado do ser, como o silêncio entranhado no espaço das vivências. O pó ocupa os cantos da vida, preenche-os de histórias, projectando-os num tempo ficcionado. O pó não é pó senão quando é visto, se não é visto não pode ser invocado. O vento sabe tomá-lo no bater acelerado das suas asas e levá-lo à experiência da vida, em nebulosa poeira.
***
O Semeador de Pó, entidade nocturna do séc. XVIII